O primeiro Holocausto


Durou vários anos, antes e depois da I Guerra Mundial, e matou quase 1,5 milhões de arménios. A prova podes buscá-la com as mãos. No monte de Margana, nas águas do Habur. As pessoas atadas, desnutridas, famintas, cansadas e nuas eram colocadas num monte acima do rio. Dava-se um tiro numa e o corpo inerte arrastava as outras.

“Quando afastei com os dedos a terra do outro lado da ravina, apareceu um esqueleto inteiro”. Isabell Ellsen, fotógrafa do The Independent, descobriu a prova terrível, passou a mão pela “terra castanha e ficou a olhar para um crânio.”

Empilhem os corpos em Austerlitz e Waterloo,

Enterrem-nos e deixem-me trabalhar –

eu sou a relva , eu cubro tudo

E empilhem-nos até ao alto em Gettysburg

E empilhem-nos até ao alto em Ypres e Verdun

Enterrem-nos e deixem-me trabalhar.

Dois anos, dez anos e os passageiros eprguntam ao condutor:

Que lugar é este?

Onde estamos agora?

Eu sou a relva,

Deixem-me trabalhar

Carl Sandburg, <>

Referência:

A Grande Guerra Pela Civilização, Robert Fisk, p.371, Edições 70, 2ª edição, 2009

https://pt.wikipedia.org/wiki/Genoc%C3%ADdio_arm%C3%AAnio#cite_note-11

 

Anúncios

One thought on “O primeiro Holocausto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s