puta de vida


falar sobre “isso” é duro. e “isso” não é deixar a mulher. essa parte também foi dura. mais duro porque dura e dura e nunca nos vai largar é deixá-los a eles, os filhos. fim-de-semana em fim-de-semana. telefone todos os dias. correr para estar nas festas da escola ou nas apresentações deles. aquelas coisas que contam nas suas vidas. e se falhamos alguma. foda-se pá! depois crescem e vêm a casa, pouco mas vêm. o que não passa é o sentimento de culpa de não lhes termos dado o melhor que havia para dar. uma família segura e presente. e não uns fins-de-semana em corrida. duro continua. quando nos assalta o passado. quando visitamos lugares cruciais. volta toda. a culpa toda. inteira. por ti abaixo. e se recordas “pai, e quem me vai contar as histórias para adormecer?” e ficas-te com um tiro na alma que nunca vai sarar, nem a ti e muito menos a ela. foda-se pá! puta de vida!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s