voltamo sempre aqui


O ritmo recorrente e o vazio de uma vida qualquer, vidas como ondas de praia que não param de chegar, que morrem logo ali aos pés de outros, com princípio no passado e com um fim anunciado para o futuro, sem motivo universal, muito menos com desejo universal, sem objectivo universal, nem um caminho universal. A cor, o ritmo, a textura e o caminho, não existe um, nem único, nem vazio, a não ser aquele que tu lhe deres, sem ritmo, a não ser aquele que tu lhe deres. Naqueles momentos em que nos apercebemos que somos mais sozinhos do que pensávamos, quando nos pomos a pensar, resulta concluir que o mais importante e real não é o dinheiro, mas um abraço ou uma conversa que não acaba sobre um tema que nem interesse: o dinheiro esse, tende a prolongar a vida, isto se o quiseres.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s