O pai


Dizia ele, no seu silêncio, durante o funeral do pai, já com o caixão entre mãos, o passado a estilhaçar-se, sem que se saiba ao certo o que não se modifica: “O meu pai teve sorte, não enterrou nenhum dos filhos.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s