se nos levasses contigo era mais fácil

já não sei quem sou. E só posso continuar com o que sou. Esta espera maior é um sufoco. O nosso mais que tudo, um pedaço do nosso corpo afinal, tem que ir. E não queremos.

Anúncios

real ou falso? verdade ou mentira?

O que é real ou irreal? Falso? Verdade ou mentira? Queres viver depressa ou muito? Para alguns depressa e muito é o mesmo, seria melhor dizer depressa e pouco tempo ou lento e muito tempo, quando depressa quer dizer, com fulgor, como se a vida fosse orgásmica, ou lento e de baixo perfil, como se a vida fosse uma maratona: o que é de facto? Não é. Não há referência da verdade ou da mentira. A vida é o que fizer sentido para cada um, e será na medida em que puderes ter opções, chega um momento em que a opção é morrer, a todas as vidas, sem excepção… Pois… Verdade verdade é que todos deveriam ter o direito de viver uma vida sem sofrimento, aquele sofrimento infligido por outros e que não aflige lei nenhuma. É mais. Há pressas que dão em azares e brilhos que matam ou êxtases virtuais e não servem para merda nenhuma.

Depois de ter visto a vida desta jovem: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gia_Carangi

 

vida

se já te despediste da vida, então podes morrer, queres morrer ou não importa que morras, mesmo que a vida seja de outro, e que tu não queres a única vida que é possível para ti. Diz-se única. A tua. Engano é dizer é tua, porque podia ser de outro, que diz igual “a minha vida”. Mas é a tua que é única com a dele também o é. Mas é tua, só tua mesmo, mesmo, mesmo. Aproveita-a!

Tiranos

Como bem sabiam, Aristóteles prevenira que a DESIGUALDADE ocasionava instabilidade, enquanto  Platão acreditava eu os DEMAGOGOS tiravam partido da liberdade de expressão para se afirmarem como tiranos.

1.

Não obedeças por antecipação.

2.

Defende as instituições.

3.

Cuidado com o estado unipartidário.

4.

Presta atenção a suásticas e a outros sinais de ódio.

5.

Usa e abusa da tua ética profissional

6.

Fica alerta com os paramilitares

7.

Desvies estar preparado/a para dizer NÃO.

8.

Opõe-te
(Continua)
Referencia: “Sobre a tirania”, Timothy Snyder, p.11 e seguintes , Relogio d’Água 

Só 

És só um corpo, não há mãe nem pai que te possa dar mais do que atenção, e só te lançam um lençol por cima até que o médico, cansado, te meça a tensão, mas pense que mais vale estar este corpo, gordo e deformado, morto, do que a meses ou anos de se finar.

amor

Não tens tempo de ouvir a pergunta quanto mais dizer a resposta e já lá estás, uma pulsão abrupta, e só deixas de tremer mais quando estás perto, mas isso chama-se paixão. Dura pouco, não mais que dois anos. Dizem.

Lá para depois da quarta paixão ainda não controlas o que dás. Mas não vais ter ninguém a dizer-te o que fazer, nem sequer uma arma apontada à cabeça, nem é preciso, porque já deste tudo o que tinhas. Se mesmo assim a paixão não dura e o amor não fica, o corpo quebra-se no chão.

Se ficas depois da primeira guerra, depois da segunda aflição, depois do terceiro problema sério, depois da morte, já lhe podes chamar isso maior, amor.

Lá para depois do primeiro amor vais controlar o que dás.